Início - Catanduva Está em Alerta Para Dengue, Zika e Chikungunya
Cidades

Catanduva Está em Alerta Para Dengue, Zika e Chikungunya

LIRAa identificou 1.139 municípios com índice de infestação em alerta (Cristine Rochol)

Com índice de infestação do Aedes em 1,9, Catanduva está em alerta para dengue, zika e chikungunya. É o que aponta o mais recente estudo do Ministério da Saúde que foi divulgado nesta semana. O tolerável é de 1% ainda de acordo com o setor. Em todo Estado de São Paulo são 65 cidades em alerta para as doenças.
O novo Levantamento Rápido de Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) mostra que o depósito predominante na Cidade Feitiço é visto pelas equipes no ambiente domiciliar, com 66 registros. Na sequência está o lixo com seis e por último o armazenamento de água com dois casos contabilizados pelas equipes.
No estudo, o Ministério da Saúde leva em consideração o índice de casas com a presença de larvas. Parâmetro diferente do usado na metodologia da Secretaria de Saúde de Catanduva que analisa o índice por tipo de recipiente positivo onde foi encontrada a larva.
A nível nacional são 357 cidades do país que estão em situação de risco de surto das doenças. Mais de 9% das cidades que fizeram o levantamento obrigatório tinham índice alto de larvas do mosquito. No total foram 3.946 municípios que contaram com o estudo.

O LIRAa também identificou 1.138 municípios que, a exemplo de Catanduva, estão com índice de infestação em alerta e 2.450 com percentual satisfatório com menos de 1% de focos de dengue.
O Mapa da Dengue é usado para o controle do Aedes. Com as informações coletadas, é possível identificar os bairros com maior foco de reprodução do mosquito, além do tipo de depósito das larvas. A ideia é a de que com o estudo as cidades possam fazer o planejamento das ações de combate e controle do Aedes.
O secretário de Vigilância em Saúde, Adeilson Cavalcante, explica que o levantamento é importante para prever as ações.
“É necessária uma visão global da situação, por isso o levantamento tem papel essencial nas decisões nacionais, mas principalmente locais, porque o levantamento traz detalhes de focos de mosquito por bairros e com isso o gestor pode prever ações efetivas de controle da proliferação do mosquito”, disse.
Além dos dados, o ministro da Saúde, Ricardo Barros, falou sobre a campanha de combate ao mosquito. “O enfrentamento ao mosquito Aedes aegypti é prioridade do Governo Federal, por isso definimos um dia de mobilização, a Sexta Sem Mosquito, quando mobilizaremos ministros de estado e autoridades locais para estarem em todos os estados do país chamando a atenção da população para a importância de combater o mosquito”, destacou o ministro da Saúde.

Cíntia Souza
Da reportagem local