Cidades

Caso em Santa Adélia Coloca Catanduva em Alerta Para Síndrome Pé-Mão-Boca

Os principais sinais são lesões na pele, como o próprio nome diz (Divulgação)
Assine

Um caso da Síndrome Pé-Mão-Boca em Santa Adélia deixa Catanduva em alerta para a doença. Unidades de saúde e escolas da Cidade Feitiço receberam comunicados com atenção especial ao assunto, para que todos estejam atentos e que toda e qualquer intercorrência seja avisada à direção.

[ms-protect-content id=“802936”, “801852″, “802036”, “802037″, “803051”, “803052″]

Por meio de nota, o setor aponta que a “Secretaria Municipal de Saúde recebeu uma notificação da doença Pé-Mão-Boca neste ano, referente a um paciente de Santa Adélia. No entanto, a pasta está em alerta diante da incidência da síndrome em curso no interior do Estado”, informou.
Em outras cidades que pertencem ao interior do Estado de São Paulo como Clementina e Castilho, escolas foram fechadas para limpeza e aulas foram suspensas por tempo indeterminado por conta da Síndrome. Na primeira foram registrados 13 casos, sendo que 12 deles atingiram crianças. Já na segunda, foram 75 casos da doença. Conforme explica o Ministério da Saúde, a Síndrome Pé-Mão-Boca é uma infecção que é causada por um vírus. Os principais sinais são lesões na pele, como o próprio nome diz, nos pés, nas mãos e dentro da boca. A doença provoca febre alta e é contagiosa, atingindo crianças com menos de cinco anos. Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem em sete dias. Adultos também podem sofrer com a doença.
A principal forma de transmissão é pelas fezes ou boca, com contato direto entre as pessoas, ou as fezes, salivas e demais secreções. Também é possível contrair a doença por alimentos e objetos contaminados. Mesmo após a recuperação, a pessoa pode transmitir o vírus pelas fezes em um período de até quatro semanas. A doença não possui vacina.
Por ser uma síndrome pouco conhecida, os sintomas podem ser confundidos com os de resfriado comum. Erupções surgem na orofaringe, que seguem febre alta e gânglios aumentados. Na sequência, o paciente pode ter também mal-estar, falta de apetite, vômitos e diarreia. Por conta da dor, é possível que haja dificuldades para engolir e muita salivação.
O diagnóstico é feito com base nos sintomas, localização e também na aparência que as lesões. Em alguns casos, exames podem ajudar na identificação do vírus que causa a infecção. Entre as indicações está a de que o paciente fique em repouso, tome líquidos e alimente-se bem.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local

[/ms-protect-content]



Assine O Regional

Digital Mensal
R$19,90 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso (Sáb e Dom)
R$41,70 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$65,90 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo