Cidades

Câncer é Símbolo de Superação e Fé na Vida de Keila Priscila

Em maio de 2017, apenas 10 dias antes de completar seus 30 anos, Keila Priscila, foi diagnosticada com câncer de mama. “Senti um caroço nos seios, similar a uma bola de gude, falei para minha médica. Imediatamente ela solicitou alguns exames e o resultado da biópsia confirmou o câncer de mama. Foi muito difícil receber aquela notícia porque havia sofrido um aborto no terceiro mês de gestação”, comentou Keila.
A princípio Keila foi submetida apenas a uma cirurgia de quadrante. “Fiquei aflita, com medo, mas graças a Deus o câncer não estava em outros órgãos, apenas em uma mama. Devido ao tratamento precoce, fui submetida a uma cirurgia de quadrante. Porém, logo após o procedimento, recebi a notícia de que o câncer era triplo negativo, ou seja, bem mais agressivo”, ressaltou.
A esperança havia se transformado em agonia, já que Keila teria que passar pelos seis ciclos de quimioterapia e radioterapia. A fé e o apoio da família foram fundamentais para a realização do tratamento. “Quando fui informada sobre a necessidade de passar pela quimioterapia e radioterapia veio o medo de perder os cabelos e sofrer os efeitos colaterais, porém, a fé em Deus e o suporte oferecido pela minha família foram essenciais para que pudesse passar por todo o processo”, detalhou.
Todo o tratamento durou um ano e, como a maioria dos pacientes com câncer, Keila ficou em uma ala isolada por algum tempo, perdeu peso e cabelo. “Foi um tratamento muito rigoroso, fiquei sem forças, debilitada, com auto estima baixa. Apesar da dificuldade, nunca questionei a Deus, sempre pedi forças a Ele para que pudesse passar por tudo aquilo. Tive que ajudar o meu filho que tinha apenas 10 anos a acreditar que a mãe dele não ia morrer, mesmo com todo o sofrimento do tratamento, eu nunca perdi uma reunião dos pais na escola, sempre me mantive forte. Muitos questionavam porque eu não deixava transparecer todas as minhas emoções, mas foi Deus quem me manteve de pé e me ajudou a passar por esse momento difícil”, detalhou.
Um ano e meio após o tratamento, Keila se submete a exames a cada três meses e diz que quando avalia tudo o que passou, chega à conclusão de que foi um milagre e que nasceu de novo. “Após à luta contra o câncer pude aprender muitas coisas, a dar mais valor à vida, a família, as pequenas coisas do nosso dia a dia. Aproveitar meu tempo com o que realmente importa, a viver o presente e deixar o futuro nas mãos de Deus. É claro a sempre me cuidar, continuar com os exames, estar sempre atenta. Todas as mulheres precisam saber da importância do auto exame e de ir ao médico periodicamente. A cura do câncer de mama é mais certa quando se descobre logo” finalizou Keila.

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local