Cidades

Caixa Econômica Federal Anuncia Que Usará IPCA

O financiamento de imóveis pela Caixa Econômica Federal poderá ficar mais caro e mais arriscado, para quem deseja comprar a casa própria, depois de o banco mudar o indexador dos seus contratos da TR (Taxa Referencial) para o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), o índice oficial da inflação. A Caixa anunciou que pretende adotar o IPCA nos novos contratos, até o fim deste mês.
O uso do IPCA, como fator de correção dos contratos, causará maior pressão sobre o custo do financiamento imobiliário, devido à grande oscilação do índice de inflação em um período longo de tempo.
A Caixa reduziu a taxa mínima de juros, em suas linhas de crédito habitacional, para 8,5% ao ano mais TR. A nova taxa entrou em vigor ontem (10). Porém, o banco também informou que passará a usar o IPCA como indexador para novos contratos até o fim do mês, o que será uma “mudança de paradigma”, segundo o presidente da instituição, Pedro Guimarães. Indexador é o índice usado para corrigir as prestações.
Entre os grandes bancos, apenas a Caixa anunciou que adotará o IPCA. Os demais, Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander, por enquanto não manifestaram intenção de usar o índice. Algumas fintechs (empresas de tecnologia que prestam serviços financeiros) de crédito já utilizam o indexador em contratos habitacionais.
Atualmente, a TR vale zero, como reflexo da queda da taxa básica de juros, a Selic, que está em 6,5% ao ano. Ou seja, na prática, o financiamento da Caixa tem hoje um custo fixo mínimo de 8,5% ao ano.
Com a mudança do indexador, os contratos continuarão com uma parcela de juros fixa que ainda será anunciada pelo banco, e uma parcela variável, representada pelo índice de inflação. O problema, segundo os especialistas, é que a nova parcela variável, o IPCA tem comportamento bem mais imprevisível do que a TR.

Ariane Pio
Da Reportagem Local