Cidades

Cai em 59% o Número de Áreas Reabilitadas em Catanduva

Caiu em 59% o número de áreas reabilitadas em Catanduva. Enquanto em 2017 foram 22 locais que estavam em recuperação ambiental após incidentes químicos, um ano mais tarde e esse resultado chegou a nove. Os dados levados em consideração no levantamento de O Regional, tem como base o Relatório de Áreas Contaminadas e Reabilitadas no Estado de São Paulo dos últimos dois anos.
Na chamada remediação, conforme mostram os registros de 2018, estão dois locais, enquanto que em processo de monitoramento para encerramento do acompanhamento pelos profissionais da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) são sete. Na lista estão principalmente postos de combustíveis, empresas de transporte e indústria.
Já em 2017 dos 22 locais em processo de reabilitação, a maior parte (19 deles) estava no processo de monitoramento para encerramento do acompanhamento, o que também pode explicar o resultado menor de 2018.
Catanduva segue na contramão do resultado visto em todo território paulista. Isso porque, o mesmo relatório mostra que houve um aumento de 23% no número de locais reabilitados. Em 2018, foram 1.453 ante 1.184, em 2017.
“O crescimento das áreas reabilitadas comprova que o trabalho de gerenciamento, feito pela CETESB, está surtindo efeito. Também demonstra o empenho do empreendedor, responsável pelo local, em cumprir as exigências técnicas,” explicou Patrícia Iglecias com relação aos dados a nível estadual.
Do total de 6.110 áreas, 1.397 estão em processo de monitoramento para encerramento, 225 em processo de reutilização, 1.453 reabilitadas para uso. Na cidade de São Paulo foram cadastradas 2.224 áreas, na Região Metropolitana 1.073, no interior 2.128, no litoral 389 e 296 no Vale do Paraíba. “De 2017 para 2018 ocorreu um aumento de 168 áreas cadastradas, fato justificado pelo trabalho de fiscalização feito pela Cetesb e por denuncias realizadas pela comunidade”, finaliza o setor.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local