Cidades

ANTT Descarta Catanduva Como Prioridade em Linha Férrea

Documento foi entregue a deputada estadual Beth Sahão (PT) (Divulgação)
Assine

Relatório da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) descarta Catanduva como prioridade em melhorias na linha férrea. Outras cidades da região estão na lista, como Catiguá, Pindorama e São José do Rio Preto. Documento foi entregue a deputada estadual Beth Sahão (PT) em audiência realizada ontem (7) em Brasília. Em documento apresentado, relatório descarta melhorias na malha ferroviária de Catanduva citando investimentos apontados pela RUMO em decorrências de obras de ampliação d capacidade de transportes de cargas.
A deputada conta que solicitou a reunião com o objetivo de cobrar explicações do setor sobre as intervenções que a empresa Rumo pretende realizada na área central da cidade. No documento, consta que a Cidade Feitiço não é prioritária, por indicação de obras da própria empresa responsável pela linha férrea na cidade. A novidade pode estar relacionada ao projeto já apresentado ao Governo Municipal que a Rumo pretende implantar na cidade. A ideia que vem gerando polêmica consiste na derrubada do pontilhão da rua Sete de Setembro, além de tornar a XV de Novembro fechada para passagem de veículos, com passarela para pedestres.
A informação que Beth obteve foi de que Rio Preto e Mirassol terão variantes ferroviárias instaladas, além de Catiguá e Pindorama, cidades onde há previsão de intervenções integradas simples. São Carlos é a única na lista que terá investimento em contorno ferroviário, o que mostra que a cidade não terá mais linha férrea cortando o município.
Até abril deste ano, Catanduva estava entre as prioritárias da ANTT. Na época, ficou em 17ª posição na lista de intervenções que estavam previstas pelo órgão. Em nova atualização, a Cidade Feitiço foi excluída, conforme mostra a lista de 20 de junho. “Fica aqui a dúvida: quem decidiu retirar nossa cidade da lista de cidades prioritárias?”, questiona a deputada.
Beth disse que no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) “confirmou a informação e ainda tomou conhecimento de que, nas diversas reuniões recentes realizadas entre o órgão e representantes da administração municipal, o governo de Catanduva não já não demonstrava interesse na construção do contorno ferroviário. A Rumo, por seu turno, também não desejaria a retirada dos trilhos”, complementou.
“A meu ver, faltou esforço político para resolver essa situação. Inclusive porque já havia um projeto técnico aprovado para a retirada dos trilhos, obra que estava orçada em cerca de R$ 250 milhões, mas que hoje sequer integra a lista das intervenções prioritárias da ANTT”, complementa.
Aumento do tráfego de trens aumenta 30%
A assessoria de imprensa da parlamentar aponta que “além das intervenções profundas na área central da cidade, a concretização do projeto da Rumo pode trazer sérios riscos para a população de Catanduva. No Dnit, Beth obteve a informação de que, para os próximos anos, poderá ocorrer um aumento de cerca de 30% no tráfego de trens na zona urbana do município”, informa no texto.
Ainda conforme a deputada explica, a empresa tem a ideia de colocar em operação trens que transportam containers duplos. Nos próximos meses, terá início a interligação com a ferrovia Norte-Sul, que ampliará o fluxo de cargas para o Porto de Santos.
“O cenário que me foi descrito é extremamente preocupante, inclusive porque aumentará o perigo de acidentes nas imediações da linha férrea”, pondera Beth. Na avaliação de Beth, a retirada dos trilhos é a única solução aceitável para essa situação. “É uma pena saber que o projeto regrediu dessa maneira. De minha parte, comprometo-me a lutar com todas as forças para que ele seja retomado e saia enfim do papel”, finaliza.
Movimento Reação
Contrários ao projeto da RUMO, que ao que parece tem sido visto como a solução pela ANTT, Catanduva criou um movimento para tentar barrar essas obras. O movimento Reação pretende realizar mais uma manifestação contra a derrubada do pontilhão da rua Sete de Setembro e fechamento da rua XV de Novembro, propostos pela RUMO em projeto de nova passagem sobre a linha férrea. A medida estava marcada para o dia 04 de agosto, mas foi cancelada e será remarcada. O grupo deve realizar em pontos estratégicos da cidade uma distribuição de panfletos.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local



Assine O Regional

Digital Mensal
R$19,90 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
Digital + Impresso (Sáb e Dom)
R$41,70 / mês
  • Acesso total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal impresso aos sábados e domingos
Digital + Impresso (Ter a Dom)
R$65,90 / mês
  • Acesso Total
  • Computador, Celular ou Tablet
  • Jornal Impresso de terça a domingo