Cidades

Alunos do Projeto ‘Corujas do Bem’ Recebem Medalha de Festival Internacional

Exibindo talento e criatividade, cinco alunos do Projeto Corujas do Bem ficaram entre os 10 classificados no Festival Internacional de Artes “Eyecontact Festival Of Arts for Autists”, realizado nos Estados Unidos e teve como tema “Os Patuás da Bahia”.
O Projeto atende crianças e adolescentes com o Transtorno do Espectro Autista (Autismo) e participou pelo segundo ano do festival. As medalhas foram entregues na tarde da última segunda-feira, dia 20 de Janeiro, na entidade, com a presença dos pais e professores.
Segundo Graziella Gadia, fundadora do festival, o objetivo é reforçar e motivar que cada vez mais se use a arte como um caminho de socialização, transformação e inclusão social. “O pessoal do Corujas do Bem segue a mesma filosofia que eu. De que a Arte é transformadora, é importante. E foi lindo ver todos esses trabalhos realizados pelos alunos” destacou.
O festival contou com participantes de todo o país e também do exterior. O terceiro lugar, dentre os 10 selecionados, ficou para a aluna Giovanna Cardoso, de 48 anos, que pintou a Nossa Senhora; na quarta colocação, a selecionada foi Maria Julia Vieira Nunes, de oito anos. Ela pintou o Farol da Barra e as fitas do Senhor do Bonfim. Em 5º lugar, Maria Eduarda Matheus, de 16 anos que utilizou uma combinação de cores e fez uma baiana. Em sexto, Luis Pedro Magalhães, fez uma abstração das fitas do Senhor do Bonfim, o “Caminho da Sorte”. E em oitavo lugar, com o nome “A sorte está na sua mão”, a selecionada foi Marina Galli, de 39 anos.
De acordo com a Presidente do Projeto, Mara Gabas, o resultado do festival trouxe alegria para todos. “Nos enche de orgulho ver cinco alunos do Corujas classificados e nos motiva a trabalhar cada vez mais, na certeza que estamos no caminho certo. Fazer com que as crianças pintem cada vez mais e desenvolverem os seus talentos”, comentou.
No ano passado o aluno do Corujas, Danilo Barbujani, conquistou o primeiro lugar no festival com a tela “Nascer ou Pôr do Sol”.
Além da premiação de telas, o projeto também recebeu uma menção honrosa ao grupo musical, com diploma e medalha. A música tem como título “Na Bahia tem”. De acordo com Ester Colabone, professora de música do Corujas, a premiação foi resultado de dedicação e trabalho contínuo. “A menção honrosa que recebemos, não foi só por um momento, mas sim por longos meses de trabalho. Assim como pegar em um pincel para pintar, tocar, chacoalhar, cantar, também exige muita dedicação e trabalho. Nós do Corujas damos uma atenção especial a arte, à pintura e à música”, finalizou.

Myllaynne Lima
Da Reportagem Local