Cidades

Alunos da FATEC Lançam Site Para Auxiliar Cadeirantes

Assine

Com o slogan “Conquiste a própria liberdade”, dois estudantes da FATEC – Faculdade de Tecnologia de São Paulo apostaram no mercado de tecnologias assistivas (que são geradas a fim de dar suporte, promover assistência e melhora de qualidade de vida a pessoas com deficiência) para criar uma startup de impacto social. A novidade pode ser usada inclusive pelos cadeirantes de Catanduva e região.

A iniciativa é dos alunos Renan Capeletto, do curso superior tecnológico de Mecânica de Precisão, e Gabriel Sávio, do curso de Mecânica – Modalidade Projetos. O portal virtual é resultado de um projeto desenvolvido no iCenter, o centro de inovação da FATEC São Paulo, sob supervisão e aconselhamento do professor Antonio Celso Duarte. Com esse time, foi desenvolvido o site Liberstore, uma loja virtual de acessórios para cadeirantes que, conforme as metas de venda forem atingidas, uma unidade do produto será doada a uma associação beneficente.

A ideia surgiu após Renan conquistas a quinta edição do Desafio Inova Paula Souza de Ideias e Negócios, na categoria Saúde, com o projeto Liberlift. Ele e outros dois estudantes apresentaram uma proposta de uma cadeira de rodas multifuncional com sistema de esteiras mecânicas automatizadas que permitem a circulação em terrenos irregulares e a subida em degraus. “Estávamos em busca de um investidor para lançar a ideia no mercado, mas, para isso, nos faltava um protótipo comercial, que tem um custo para ser desenvolvido. Então, resolvemos criar o site como forma de levantar recursos para o projeto”, explica em entrevista.

O projeto perdurou por dois meses de trabalhos intensos ao lado de Gabriel Sávio, que também já venceu uma edição anterior do Desafio Inova com o projeto Mobictor. Após isso, Renan fechou acordos com fornecedores e uma empresa de logística, e o portal pôde ser lançado já no mês de dezembro de 2018.
“Prezamos por um modelo de negócio de baixo custo, sem estoque nem centro operacional de distribuição. O produto segue direto do fornecedor para o consumidor final. Com isso, conseguimos oferecer preços competitivos e até estabelecer uma margem para doações”, afirma.

O próximo passo, segundo ele, será o investimento em ferramentas de relacionamento com o público. “Vamos criar uma comunidade online, em que os clientes poderão interagir entre eles e conosco, para estruturarmos uma marca 100% alinhada aos gostos e necessidades do consumidor”, destaca.

Para o professor Antonio Celso Duarte, o projeto cumpre com a proposta de dar maior liberdade e facilitar a vida das pessoas com mobilidade reduzida. “Os cadeirantes têm dificuldade para se deslocar até uma loja física e o site reúne uma série de produtos de diferentes fabricantes. É uma alternativa prática e acessível”.

Da Reportagem Local