Cidades

A Cada Três Dias, Uma Pessoa é Picada Por Escorpião em Catanduva

15/12/2017 - Águas Claras, Brasília, DF, Brasil- Com o aumento das chuvas no Distrito Federal, é preciso estar prevenido para evitar acidentes com escorpiões que procuram abrigo em residências para escapar das inundações no ambiente subterrâneo. Neste ano, a Vigilância Ambiental da Secretaria de Saúde atendeu 918 chamados para identificação e captura dos bichos. Incidência geralmente aumenta no período chuvoso. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília
Assine

A cada três dias, uma pessoa é picada por escorpião em Catanduva. O balanço de O Regional leva em consideração os dados da Secretaria Municipal de Saúde. Nos dois primeiros meses deste ano, foram 28 acidentes com escorpião. Os bairros com mais incidência desse tipo de ocorrência foram: Gabriel Hernandes, Jardim Imperial, Solo Sagrado e Parque Flamingo.
As localidades são semelhantes às vistas no ano passado que teve 168 acidentes envolvendo escorpiões. Questionada sobre quais são as ações realizadas para reverter essa situação, o setor aponta que a principal delas é a orientação. “O trabalho é conduzido por Agentes Comunitários de Saúde e por equipes das Unidades de Saúde e de Sinantrópicos. Os agentes também fazem vistorias, quando acionados por meio de denúncia ou a partir de acidentes registrados”, informa a Secretaria de Saúde por meio de nota.
No último final de semana, um menino de oito anos morreu depois de ser picado por escorpião. O caso foi registrado em Votuporanga, mas serve alerta para todo o interior. Ele estaria brincando com gato quando foi picado. A criança foi levada a Santa Casa de Votuporanga. Mas não resistiu aos ferimentos.
No mês passado, Catanduva integrou uma capacitação inédita sobre escorpiões que foi promovida pelo Instituto Butantan. O treinamento contou com a presença de cerca de 200 técnicos de zoonoses e profissionais da saúde em São Paulo. O Instituto é um dos maiores centros de pesquisa do mundo.
A preocupação do setor é com o surgimento e também a proliferação do aracnídeo no ambiente urbano, que como resultado tem mais acidentes com esses animais em todo o país. Só em janeiro, Catanduva teve 14 pessoas que foram vítimas de picadas de escorpião, conforme aponta o boletim epidemiológico.
A orientação do Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa) é a de manter os quintais limpos, já que lixo e entulho podem servir de abrigo para o aracnídeo. Uma das dicas é a de não utilizar inseticidas que apenas desalojam o escorpião.
“Ao encontrar o animal, o morador deve ligar para a EMCAa, que faz o combate a endemias, pelo telefone 3521-4087, informando o endereço e a situação. Por meio dos chamados, a equipe agenda vistoria e orienta os moradores. O setor também tem intensificado o serviço de dedetização na rede de esgoto para exterminar baratas, principal alimento do escorpião”, informa a Secretaria de Saúde em comunicado enviado a imprensa.

Cíntia Souza
Da Reportagem Local