Cidades

A Cada Dia, Dois Catanduvenses Decidem Abrir o Próprio Negócio

Em 30 de junho de 2018 eram 4.507 MEIs registradas na Cidade Feitiço (Divulgação)

A cada dia, dois catanduvenses abrem o próprio negócio. O motivo é que 77 pessoas se tornaram Microempreendedores Individuais (MEIs) só no mês de julho. Quando são somados os últimos sete meses, são 219 empresários que saíram da informalidade. Os dados são do Portal do Empreendedor.
Em 30 de junho de 2018 eram 4.507 MEIs registradas na Cidade Feitiço. Enquanto que em 31 de julho foram 4.584 catanduvenses que conseguiram ter o próprio negócio. Entre os 11 municípios que tem o mesmo porte populacional, Catanduva foi a única que registrou saldo positivo quando o assunto é abertura de microempresas.
De janeiro a junho foram 142 MEIs. O pior registro foi visto em Sertãozinho que teve registro negativo de 612 microempresas. Na sequência aparece Ribeirão Pires (-434) e em terceiro ficou Cubatão (-431). Em todo Estado de São Paulo, no acumulado dos seis primeiros meses do ano, foram 171 mil microempresas fechadas. No Brasil o resultado é ainda pior com 691 mil MEIs que foram encerradas.

MEIs já podem se cadastrar no eSocial
No mês passado teve início a segunda etapa da implantação do eSocial. O programa passará a ser obrigatório para todas as empresas privadas brasileiras. No caso das micro e pequenas empresas e nos microempreendedores individuais que contam com empregados ou segurados, o cadastro já pode ser feito.
O eSocial conta com uma versão do Sistema Público de Escrituração Digital (SPED) que sintetiza informações em um só sistema para a área trabalhista. Nele constam informações que são enviadas por declarações como CAGED, RAIS, GFIP e DIRF. Faltam três meses para que esse envio de informações seja realizado pela plataforma. Desde janeiro, o eSocial passou a ser exigido para mais de 13 mil empresas brasileiras. Elas têm faturamento que passa de R$ 78 milhões por ano. Os órgãos públicos também terão que se cadastrar no programa, mas para eles a obrigatoriedade começa em janeiro do ano que vem.
Até o final deste mês, os empresários devem enviar os eventos cadastrais, além das tabelas da empresa. O motivo é que a partir do dia 1º de setembro terá início a fase de cadastro das informações dos trabalhadores. Em novembro o programa será obrigatório para o envio das informações dos funcionários das empresas.
Cerca de 4 milhões de empregados e outros 30 milhões de trabalhadores começarão a usar o eSocial nessa etapa. A Receita Federal busca aumento na arrecadação ao unificar os serviços na plataforma.

Cíntia Souza
Da reportagem local




/* ]]> */