Início - 3 Mil Litros de Óleo Usado São Arrecadados em Projeto Social do Lions Catanduva
Cidades

3 Mil Litros de Óleo Usado São Arrecadados em Projeto Social do Lions Catanduva

GINCANA entre alunos colaborou para o montante de óleo arrecadado (Divulgação)

Três mil litros de óleo usado foram arrecadados em projeto social “Protegendo a vida e diminuindo a fome” do Lions Catanduva. A ação contou com o apoio de estudantes de uma escola particular de Catanduva que promoveu uma gincana para maior coleta do material. O programa atende as normas ambientais, pois a cada litro de óleo de fritura, 25 mil litros de água potável podem ser contaminados.
“É motivador ver a comunidade se envolvendo em torno de um projeto que é benéfico para o meio ambiente e para a vida. Parabéns a todos que participaram e em especial aos alunos do 1º ao 5º ano do Colégio COC que compuseram a equipe Azul”, comemora o presidente do Lions, Alceny Cássio Ferreira, Kila.
A escola foi responsável por arrecadar 1,5 mil litros de óleo usado. A equipe ganhadora recebeu como prêmio o valor de R$ 1 mil. “A direção da escola levará os alunos para tomar lanche. Entre as escolas participantes a vencedora foi o COC. A campanha foi realizada durante um mês”, informa Kila.
O material arrecadado será entregue a uma empresa que fará o reaproveitamento. Em contrapartida o Lions receberá mil litros em óleo novo ou mil quilos de arroz.
“O ‘Projeto protegendo a vida e diminuindo a fome’ busca a conscientização da população em dar a destinação final correta do óleo de fritura, produto altamente contaminante. Este é um Projeto entre Lions Distrito LC6 e a Empresa Brejeiro/Orlândia. Para 6.000 mil litros de óleo de fritura armazenado, a empresa repassa para o Lions de Catanduva 1.000 litros de óleo ou 1000 kg de arroz. Todo óleo de fritura coletado e armazenado pelo Lions será trocado com a empresa Brejeiro, que será transformado em biodiesel. Por essa razão , o projeto passa a ser o grande desafio dos Clubes de Lions do Distrito LC6. Normalmente as pessoas jogam o óleo de fritura na pia da cozinha, ou vai para o sabão. Quem mais sofre é a água, que recebe este produto altamente contaminante. Perseverar na ação de proteger a mãe natureza é preciso e necessário”, conclui o presidente.

Karla Sibro
Da Reportagem Local