Início - 2020 Começou Com 1,5 Mi Documentos Tramitados Pelo ‘SP Sem Papel’

2020 Começou Com 1,5 Mi Documentos Tramitados Pelo ‘SP Sem Papel’

Para tornar a gestão pública mais eficiente e colocar fim ao desperdício e custos desnecessários, a Prodesp, empresa de tecnologia do Governo de São Paulo, implantou o programa SP Sem Papel, que em cinco meses de vigência entre os órgãos da administração estadual acaba de ultrapassar a marca de 1,5 milhão de documentos processados e tramitados de forma 100% digital, que totalizam quase nove milhões de páginas.
Se colocadas lado a lado, a quantidade de páginas de impressos daria para percorrer uma distância de quase 2500 km, o equivalente ao trajeto, em linha reta, de São Paulo até Belém, capital do Pará.
A produção de documentos no formato digital também trouxe benefícios econômicos aos cofres públicos. Para tramitar o volume total de páginas em meio físico, os custos à administração chegariam a aproximadamente R$ 510.000,00. No SP Sem Papel, esse valor reduziu para apenas R$ 2.800,00. Uma economia de aproximadamente 99,5%.
De acordo com o Presidente da Prodesp, André Arruda, tornar o Estado totalmente digital exige coragem para rever conceitos dentro da administração.
“Numa era em que a tecnologia está 100% presente, o poder público precisa buscar soluções inovadoras e seguir em movimento para aprimorar os serviços prestados aos cidadãos”, destacou Arruda, que aproveitou para explicar ainda que mudar velhas práticas é o grande desafio para a desburocratização interna, gerenciamento de recursos e redução de gastos.
O SP Sem Papel é um marco na história da administração pública estadual, tornando o trâmite de documentos mais ágil entre as autarquias, contribuindo com a eficiência do setor público e do atendimento ao cidadão. O programa conta hoje com mais de 150 mil servidores ativos no sistema, das 24 Secretarias do Governo e na Prodesp.
Em 2020, a administração indireta também fará parte do programa. Para assegurar o sucesso desta ação, os servidores de todas as áreas do Governo passam por treinamento para conduzir a iniciativa. Até o momento mais de 100 mil servidores foram capacitados.
Com o fim dos documentos impressos, o Governo paulista projeta economizar cerca de 75% com impressões e compra de papel. Na Prodesp, por exemplo, em cinco anos, a estimativa é deixar de gastar mais de cinco milhões, fora o gasto indireto com transporte, Correio e armazenagem física.
O SP Sem Papel conta com o apoio do Arquivo Público, responsável por garantir que a solução seja aderente às políticas públicas de gestão documental do Governo do Estado, e da Fundação Vanzolini, para a capacitação dos servidores.

Ariane Pio
Da Reportagem Local

%d blogueiros gostam disto: